Pegue leve, principalmente com você

Você já reparou que as pessoas reagem de forma diferente diante a uma mesma situação?

Um problema pode ser interpretado como uma ameaça ou um desafio, dependendo do que a pessoa acredita.

Nenhuma das duas está certa ou errada, afinal, a gente não sabe o que elas passaram para reagir desta forma.

Imagina que todos nós temos um tipo de planilha em nosso cérebro, com as possíveis soluções para as variadas situações.

Na primeira coluna estão as nossas crenças, na segunda as situações. Na terceira coluna entram as reações possíveis para atender as condições das colunas anteriores.

Então se eu acredito que eu não posso errar (crença, primeira coluna) e alguém me diz que eu errei (situação, segunda coluna), que tipo de reação é provável que saia na coluna da reação?

Provavelmente uma reação de contração, como vergonha ou constrangimento. Ou uma reação mais agressiva, se eu me se sentir ameaçado.

E assim vai.

Nós vamos alimentando essa planilha no decorrer da vida e tendemos a repetir as reações que foram gravadas, de forma automática.

O problema é que essa planilha começa a ser alimentada na nossa infância, uma época que o computador neurológico ainda estava instalando o sistema operacional.

Quando você cresce a sua planilha está repleta de soluções criadas pela sua criança, cujo computador não estava em pleno funcionamento. Percebe como isso atrapalha a vida adulta?

Para atualizar a planilha você precisa pegar leve com você. Começar a olhar para seus problemas como oportunidades de encontrar as crenças e soluções erradas que a sua criança gravou na planilha.

E como eu faço isso?

1 – aceite que as suas verdades não são absolutas e que provavelmente elas são bem estúpidas (as minhas e a de todo mundo também, entendeu porque precisamos de leveza?). Existe sim uma alternativa, existe sim uma solução em que todos ganham, é normal e aceitável errar, é normal e aceitável admitir que precisa de ajuda e assim vai.

2 – invista em você, criando um espaço diário para se observar, colocando o foco na respiração (veja os posts anteriores). Essa prática vai aumentar o seu tempo de reação quando algo sair errado, te dando uma oportunidade de elaborar os sinais do seu corpo antes de acessar a reação escrita na planilha.

3 – descubra a crença, percorrendo o caminho contrário: se a minha reação diante a situação foi essa, eu só posso acreditar que…

4 – quando a crença aparecer, permita-se a rir um pouco. Ninguém merece se levar muito a sério, principalmente morando nessa piada de mal gosto que é o Brasil.

A gente tem a falsa ideia de que estamos no controle, que temos que ser assim ou assado e isso tudo estimula um julgamento constante de nós mesmos e dos outros. É esse julgamento que nos deixa pesado.

Larga esse peso (suas crenças distorcidas), torne-se uma pessoa mais leve e veja o que acontece ao redor.

Depois me conta.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *