ISO 9001 para empresários e leigos

Desde que entrei no universo da qualidade, eu me sinto um pouco frustrado com as explicações sobre o que é a ISO 9001 que encontrei em blogs e no YouTube. A grande maioria dos especialistas e blogueiros se apoiam em definições técnicas para descrever o que é um Sistema de Gestão da Qualidade. Como resultado, o leigo que busca saber o que é ISO 9001 no Google, acaba encontrando coisas do tipo:

A ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas que estabelecem um modelo de gestão da qualidade para organizações em geral, qualquer que seja o seu tipo ou dimensão. (Wikipedia)

O meu ponto é: a definição está correta, mas será que comunica os benefícios reais da ISO 9001 para quem não é da área?

Por que vender está ficando mais difícil?

MARKETING COSTUMAVA SER O QUE VOCÊ FALAVA

A fórmula era simples: anuncie como louco, venda como louco, anuncie ainda mais e assim vai. A grande maioria das marcas que você conhece foram construídas dessa forma. Só que este é um jogo para poucos, afinal, custa muito, muito caro fazer propaganda nos meios de massa.

Além disso, o consumidor moderno mudou. Ele tem um supercomputador no bolso e acesso imediato a um universo de informações. Ele compara preços dentro da loja (e às vezes só vai à loja para pegar o produto na mão). Ele sabe mais que o vendedor e não é enrolado facilmente.

Sim, vender está ficando cada vez mais difícil.

AGORA MARKETING É O QUE VOCÊ FAZ

Seth Godin, guru do marketing que escreveu A Vaca Roxa, afirma que o seu produto/serviço é o seu melhor marketing. Um produto sensacional sempre vende e gera boca a boca, sempre.

Só que não é muito fácil criar um produto/serviço diferenciado. E isso é bom, porque cria distância dos concorrentes e espaço para crescer.

A forma que encontrei para me diferenciar é fornecendo informação útil, diferenciada e verdadeira. Sigo a risca tudo que eu falo aos meus clientes e só recomendo o que já experimentei.

Assim, o jeito mais fácil de entender como vou resolver o seu problema de vendas é mostrar como eu resolvi o meu problema de vendas.

Por isso te convido a navegar pelo meu mundo e ver na prática o que faço e penso. E se você sentir que eu sou o profissional certo para ajudar a vender mais, entre em contato comigo.

Quantos negócios o seu site gerou este mês?

MENOS DO QUE GOSTARIA

Será que faltou um pouco de pensamento estratégico nas suas ações? O termo pode parecer assustador, mas não precisa ser complicado. Eu costumo começar meus projetos respondendo as seguintes perguntas:

  1. Como eu vou atrair visitantes para o site?
  2. Como eu vou convencer esses visitantes a me dar as informações de contato?
  3. Como eu vou manter essas pessoas informadas?
  4. Como vou fechar o negócio?
  5. O que preciso medir para ter certeza que tudo ande em ordem?

Reflita um pouco sobre essas perguntas e reveja suas ações. Você teria tomado as mesmas decisões se tivesse essas respostas?

MAIS DO QUE DOU CONTA

Parabéns! Você deve ser o profissional mais feliz do pedaço e eu adoraria conhecer a sua história. Mas algo me diz que não é esse o caso…

Para que serve um site

Vou te contar um segredo: ninguém acessa o seu site para passar tempo.  As pessoas chegam no seu site para obter uma resposta para uma pergunta. Na maioria das vezes elas querem encontrar essa resposta em menos de 3 segundos. E cada vez mais isso é feito pelo celular, em movimento.

Assim, o conteúdo é o rei. O que você escreve e a forma que isso é apresentado (o design) têm impacto direto nos resultados do seu site.

Informação de qualidade vai estimular o seu cliente a entrar em contato e a compartilhar o seu site, atraindo mais clientes em potencial.

Problemas comuns

Poucas visitas:

  1. seu site não responde pergunta nenhuma e, por isso, não aparece em lugar nenhum
  2. a tecnologia usada impede que o Google leia o seu site

Muitas visitas e poucos interessados:

  1. seu site está respondendo as perguntas erradas
  2. seu site não tem mecanismos de conversão

Muitos interessados e poucas vendas:

  1. as informações sobre seus produtos/serviços estão confusas
  2. você está respondendo as perguntas erradas

Que conteúdo colocar no site

Durante suas vendas, quantas pessoas te perguntaram:

  1. Qual a missão da sua empresa?
  2. Visão?
  3. Valores?
  4. Sua história?
  5. Que links que você recomenda?

E quantas te perguntaram:

  1. Para que sua empresa existe?
  2. Quem ela atende?
  3. Que problemas ela resolve?
  4. Como ela resolve esses problemas?
  5. Em quanto tempo ela resolve esses problemas?
  6. Quanto custa?
  7. Por que eu deveria comprar de você?

Aposto que o segundo grupo sai na frente. No entanto, continuo vendo sites com listas de serviços, missão e valores.

Como avaliar seu site

Vou te dar algumas dicas para avaliar se o seu site atual está bom o suficiente para você começar a agitar o seu funil de vendas.

Para ter sucesso o seu site tem que ser:

Fácil de encontrar

Faça uma pausa agora, abra o Google e digite o nome da sua empresa.

Seu site estava na primeira página?

  • Não: você tem um problema sério.
  • Sim: esse é o resultado esperado. Mas essa busca só é feita por quem já conhece a sua empresa. Você quer aparecer para as pessoas que buscam soluções para o problema que você resolve.

Agora digite o seu principal produto/serviço.

  1. Em que página seu site aparece?
  2. Quem estava nas primeiras posições? Seu concorrente?

Fácil de navegar

Quando foi a última vez que você visitou o seu próprio site? Coloque-se no lugar de um cliente buscando informações sobre o seu produto/serviço:

  1. seus produtos/serviços são fáceis de encontrar?
  2. o texto é legível?
  3. as informações fazem sentido?

Fácil de interagir

Continuando a navegar pelo site:

  1. existe uma forma rápida de demonstrar o interesse pelo produto? (formulário, chat, botão de ligação imediata)

Essa simples análise mostra se o seu site tem o mínimo necessário para começar a atrair clientes. Sem isso você vai jogar dinheiro fora.

Marketing Contábil

6 erros de SEO que o Google não perdoa

Você sabia que o Google pode fazer seu blog desaparecer de seus resultados de pesquisa?

Encontrei esse artigo do Jon Morrow e achei tão legal que resolvi traduzir. Aproveite!

Um dia você está recebendo uma pequena quantidade de tráfego para algumas de suas postagens. Não, não é nada importante, mas cresce com cada novo post que você publicar, e você pode ver o Google se tornando uma importante fonte de tráfego para você no futuro.

E então ele para.

Cada post e página do seu blog simplesmente desaparecem do Google. Sem aviso, sem alarme, nada. Como se o seu site nunca tivesse existido.

E a pior parte? Você nem sabe o porquê.

É como se o cara mais malvado da internet tivesse te dado uma surra, deixando você choramingando e sangrando, perguntando o que diabos você fez de errado.

Isso acontece o tempo todo. E não adianta espernear. Com o Google a ignorância não é desculpa. Você quebra as regras, você paga as consequências. Fim da história.

É por isso que é tão importante saber quais são as regras.

A Verdade Sobre Como o Google Trabalha

O Google está evoluindo. O tempo todo.

Todos os dias, eles mudam seus algoritmos para filtrar spammers. A cada um ou dois anos, eles também lançam grandes atualizações no motor de pesquisa de rankings que afetam quase todo mundo na web.

O resultado?

O que funciona hoje pode não funcionar amanhã. Na verdade, pode até mesmo te machucar.

Houve um tempo que o Google não penalizava as pessoas por cometerem erros, sem realmente reduzir o seu ranking ou fazê-las desaparecer do índice.

Agora, eles são muito mais punitivos. Mesmo se você não cometer um erro grande o suficiente para entrar na lista negra, você ainda pode ver seus resultados de pesquisa cair da noite para o dia se fizer algo errado.

E quais são os pecados mortais?

A lista está em constante mudança, mas aqui estão os seis pecados mais prováveis :

Pecado # 1: Comprar Links

Já notou anúncios de empresas de SEO prometendo-lhe centenas de links e um ranking primeira página por alguma taxa insignificante?

Pode ignorá-los. Aqui está o porquê:

Quase sempre os links são de sites de má reputação e contas de redes sociais forjadas. Obter um link a partir deles é como ir a uma entrevista de emprego com uma carta de recomendação de um revendedor de crack bem conhecido. Não ajuda você.

E não importa o quão inteligentes eles são. Algumas dessas empresas afirmam que nunca serão descobertas pelo Google, porque todos os links de spam estão apontando para uma página intermediária, criando uma “roda de link” ou “pirâmide de links”. Supostamente para protegê-lo.

Pode até funcionar… por um tempo. Lembra quando eu disse que o Google está sempre evoluindo? O problema é que mesmo se o Google não pegar você hoje, ele vai pegá-lo em algum ponto no futuro. Ele sempre pega.

A melhor política?

Não compre (ou venda) links. Ponto final.

Pecado # 2: Juntar-se aos diretórios de links errados

Ao considerar submeter-me a um diretório, eu faria perguntas como:

  • O diretório rejeita urls? Se cada url passa por uma revisão, o diretório fica mais perto de ser apenas uma lista de links ou um site de links livre para todos.
  • Qual é a qualidade das urls no diretório? Suponha que um site rejeite 25% das submissões, mas as urls que são aceitas/listadas ainda são de baixa qualidade ou spam. Isso não contribui para a qualidade do diretório.
  • Se houver uma taxa, qual é o objetivo da taxa? Para um diretório de alta qualidade a taxa é principalmente relacionada ao tempo e ao esforço de se fazer uma avaliação genuína de url.

Matt Cutts, em nome do Google:

Link de diretórios são, de longe, uma das partes mais mal compreendidas de SEO.

Era uma vez uma peça essencial de qualquer campanha para lançar um novo site. Você pode enviar seu blog para DMOZ.org e alguns diretórios de links específicos do setor, e você ganha um rápido impulso em seus rankings de pesquisa.

E faz sentido, certo? Se o seu blog é sobre o surf, então faz sentido ser incluído em todos os diretórios de links sobre o surf.

Bem … aqui está o problema:

O Google olha para a web como se fossem “bairros.” Se o seu blog é frequentemente mencionado por sites confiáveis, você faz parte de uma “boa vizinhança”. Se todos os seus links vêm de páginas ligando a milhares de sites ruins, você faz parte de um “bairro ruim”.

Qual deles você acha que os diretórios de link são?

Ruim, certo? Como qualquer um pode submeter seu site, a maioria de diretórios da ligação tornam-se nada mais do que um repositório de sucata. Mesmo se o seu blog é totalmente legítimo, você é culpado pela associação.

Agora, isso não significa que todos os diretórios de links são ruins. Se você está enviando seu blog para um diretório altamente direcionado que é revisto por um ser humano real, que se certifica que todos os sites listados são top-notch, você ainda pode obter algum benefício a partir dele, porque você está cercado por outros sites valiosos.

Como na vida, você é com quem você sai.

Pecado # 3: Conteúdo duplicado

Já ouviu falar de Spin Content?

Foi a sensação em torno de 2008. A ideia é que você poderia escrever um artigo, “rodar” várias versões dele fazendo pequenos ajustes no texto e, em seguida, enviar essas versões para diferentes sites que coletam artigos gratuitos em troca de um link de volta ao seu site.

E costumava funcionar. Naquela época, muitos resultados de pesquisa foram dominados por sites como E-Zine e Base.

Não funciona mais. Sim, muitas pessoas ainda fazem Spin Content, mas é uma técnica condenada. Aqui está o porquê:

Lembre-se de como eu disse que o Google está ficando cada vez mais inteligente?

A lógica do Spin Content era que você poderia pegar um artigo popular do seu site, fazer várias versões com pequenas diferenças, publicar essas versões nos sites de artigos e conseguir alguns links de volta para o seu site. O Google veria as variações diferentes como artigos totalmente originais sem penalidades por conteúdo duplicado.

Ao longo dos anos, porém, o algoritmo tem ficado cada vez melhor em farejar artigos com pequenas variações. Os artigos que costumavam se classificar há anos estão caindo, porque o Google os reconhece pelo que são: spam.

Isso não quer dizer que escrever para outros sites é uma má ideia. Guest blogging, em particular, é uma das formas mais eficazes de construir um blog popular. Isso porque você está escrevendo conteúdo exclusivo para um site confiável, cercado por dezenas de outras autoridades.

Spin content, por outro lado, é tentar enganar o Google, duplicando o conteúdo para sites suspeitos, cheios de artigos escritos por novatos. Mais uma vez, você é culpado por associação.

Pecado # 4: Keyword stuffing

“Lotar páginas com as mesmas palavras-chave prejudica a experiência do usuário e pode prejudicar a classificação do seu site.” – Google

Se você não está familiarizado com o termo, “keyword stuffing” significa usar uma palavra-chave repetidamente em seu conteúdo na esperança de que ele vá te dar uma melhor classificação. Por exemplo, digamos que você deseja se classificar para a busca “biscoitos de chocolate”. Isso é o que o recheio de palavras-chave seria:

“Os biscoitos de chocolate são tão deliciosos! Vou ensinar a receita de biscoito de minha avó de chocolate para fazer os melhores biscoitos de chocolate que você já provou. A receita de biscoitos de chocolate faz duas dúzias de biscoitos de chocolate. ”

Todo o post do blog continuaria assim, usando a palavra-chave “biscoitos de chocolate” dezenas ou mesmo centenas de vezes. Não importa o idioma, isso é tão artificial que é quase ilegível.

Também é estúpido. Aqui está o porquê:

A densidade de palavras-chave é apenas uma pequena parte do algoritmo do Google. Ninguém sabe ao certo quanto, mas pelo que eu vi, acho que é menos de 5%. Ao lado dos fatores mais importantes, como autoridade de domínio e links confiáveis, é quase completamente irrelevante.

E se você abusar, pode se machucar.

A principal preocupação do Google é a experiência do usuário. Se todos os artigos que as pessoas acham estão cheios de palavras-chave, ninguém vai querer lê-los, e todo mundo vai parar de usar o Google para pesquisar na web. Eles nunca vão permitir isso.

Meu conselho?

Não pense em palavras-chave no primeiro ano do seu blog. Basta concentrar-se na publicação de conteúdo incrível e obter tantos links quanto possível. Uma vez que seu blog tem alguma autoridade, volte e ajuste as palavras-chave em seus posts mais populares, sem fazê-los soarem pouco naturais.

Sim, você pode perder algumas oportunidades, mas suas chances de construir um site de autoridade são muito, muito maiores. Confie em mim.

Pecado # 5: Texto de âncora não natural

Este é outro exemplo de pessoas levando uma pequena parte do algoritmo do Google muito longe.

Se você não estiver familiarizado com o termo “texto âncora“, ele se refere ao texto dentro de um link. Assim, o texto âncora nesta frase é “texto âncora”.

Quando o Google está decidindo quais termos para classificar suas páginas, o texto âncora é um dos lugares que ele procura pistas. Se um monte de pessoas estão linkando para um de seus posts com “piadas engraçadas” como o texto âncora, por exemplo, há uma boa chance do post ser sobre piadas engraçadas.

Assim as pessoas tentam manipular o sistema. Eles constroem links usando algumas das técnicas de má reputação acima e usam os termos que querem classificar como o texto âncora, esperando que ele vá aumentar suas chances de ficar classificado.

Mas isso parece natural?

Nem todo mundo vai usar exatamente o mesmo texto âncora quando linkam para você. Alguns dos links podem ter um texto âncora mais curto como “piadas”, frases relacionadas como “me fez rir”, ou mesmo apenas um URL simples, sem texto âncora em tudo.

Ao usar o mesmo texto de âncora em todos os seus links, basicamente você está dizendo ao Google que está tentando manipular o sistema. E você vai ser penalizado em algum momento.

Pecado # 6: Links Quebrados

“Verifique seus links quebrados.” – Google

E por último mas não menos importante, o mais sorrateiro de todos eles: links quebrados.

Ao longo do tempo, praticamente todos os blogueiros vão acumular alguns links que não funcionam mais. Sites morrem, se movem e se reestruturam o tempo todo, quebrando os links para a página originalmente vinculada.

A questão é: se os links quebrados são tão naturais, por que o Google penaliza você por eles?

Bem, pense nisso a partir de sua perspectiva:

Que página tem mais chances de estar atualizada: uma com cinco links quebrados ou uma com zero? Além disso, qual página oferece uma melhor experiência ao usuário?

Assim, se todos os outros fatores são iguais, uma página sem links quebrados tem mais chances de ultrapassar uma página com links quebrados.

Mas não precisa surtar, porque é raro ter todos os outros fatores iguais. Com tantas variáveis ​​de algoritmo citadas aqui, links quebrados são fichinha.

Ainda assim, é um pecado fácil de identificar. Uma ou duas vezes por ano, acesse as Ferramentas do Google para webmasters para corrigir todos os links quebrado que ele informar. Você pode notar uma pequena mudança no ranking de algumas de suas páginas.

Sentindo-se preocupado ainda?

Depois de ler tudo isso, você pode se sentir como se estivesse andando por um campo minado, rezando para não pisar em uma mina invisível e explodir. Você provavelmente nunca soube que SEO poderia ser tão perigoso.

A boa notícia?

Não tem que ser assim. Para a maior parte, as pessoas que entram em apuros com o Google são ou geeks de SEO que estão intencionalmente arriscando a sorte ou que recebem conselhos da pessoa errada.

Se você não sabe nada sobre SEO e está fazendo nada mais do que publicar conteúdo incrível e construir relacionamentos com seus leitores, você provavelmente está seguro. Na verdade, essa é uma boa mentalidade para todos os blogueiros, na minha opinião. Pelo menos no começo.

Em vez de tentar descobrir como manipular o algoritmo do Google para obter melhores classificações, basta criar conteúdo que mereça estar na primeira página, caprichar na promoção e esperar que o Google te atenda. Seu objetivo, afinal, é mover o melhor conteúdo para o topo da pilha.

A esse respeito, a estratégia real, supersecreta, por trás das cenas para colocar o seu site na primeira página do Google não tem nada a ver com pirâmides de links ou densidade de palavras-chave. São apenas três passos simples:

  1. Crie conteúdos de cair o queixo
  2. Conquiste influenciadores falando sobre isso
  3. Aguarde o Google fazer o seu trabalho

Muito simples?

Talvez, mas é exatamente o que o Google quer que você faça.

Então, por que fazer outra coisa?